sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Diário de uma Costureira! Parte II - Minha Infância Craft




Aqui na casa dos meus pais ainda há muitas coisas minhas. As tenho como pequenas preciosidades, relíquias que devem ser guardadas em um local seguro. São coisas que eu não levaria comigo, enquanto estudante universitária e que talvez também não leve para meu futuro apartamento, pois não há muito espaço que possa ser ocupado com coisas "desnecessárias".

Sim, eu sou uma acumuladora. Não me considero materialista, não ligo para roupas de marca ou carros do ano, mas estabeleço valores sentimentais com muitas coisas. As roupinhas de bebê bordadas pelas minhas avós, minha caixa de adesivos que coleciono desde a primeira série, minha primeira boneca (a Juliana, que era maior que eu!) e assim por diante.

Fui uma criança muito calma, não subia em árvores, não aprendi a andar de bicicleta e quase não ralava os joelhos, mas tive uma infância muito feliz! Brinquei muito no quintal, comi muitas frutas fresquinhas colhidas do pé... Goiaba, pitanga, araçá! Quanta coisa boa! Cresci perto dos meus avós maternos, na casa deles recortei muito papel, fiz muita sujeira, ajudei a enrolar docinhos, a fazer cuca... Minha avó paterna sempre gostou de artesanato e a cada visita nas férias de julho eu aprendia algo novo com ela e com minhas tias. Aliás, ela quem me deu meu braço direito, minha atual máquina de costura! Fui também à Escolinha de Artes Infantis, na Casa da Cultura da minha cidade. E como eu adorava! Argila, tinta, nanquim, giz de cera! Sempre gostei de aprender, de entender como as coisas são feitas, de saber o porquê!

Eis que semana passada, olhando tantas coisas antigas, encontrei algumas que nem me lembrava direito. Minha primeira máquina de costura, meu tearzinho e minha maquininha de tricô! Confesso que passei uma tarde revivendo cada um deles, lembrando como funcionavam, experimentando novamente e revivendo minha infância feliz!

A máquina de tricô é muito bacana, tem um mecanismo relativamente complexo e continua funcionando perfeitamente. Faz apenas malhas pequenas, mas de tricô aberto e fechado. E ainda tem uma pecinha para fazer pom-pom! Pelo que vi na caixa, é de 1992, eu tinha 7 anos!


O tear é apenas uma estrutura, vem com o pente (que se perdeu com o tempo) e as lançadeiras, é meio complicado não deixar o fio escapar, lembro que nunca consegui fazer nada de muito bonito com ele. Mas brinquei muito e tentei muitas vezes!


Minha mãe, olhando para os brinquedos, perguntou: - Será que nós te influenciamos? Eu acredito que eles me estimularam e sempre me deram força, me motivando a fazer aquilo que amo! Foi uma delícia reviver minha infância, vou guardar esses brinquedos para meus filhos com todo carinho, quem sabe eles gostem tanto quanto eu! :)

17 comentários:

Anônimo disse...

Como ser criança é bom né!
Não entendo o pq as criança de hoje querem crescer tão rapido, eu queria ter sido criança mais um pouco antes das responsabilidades chegarem...

Bjoos
Adriana

ateliedecereja.blogspot.com

Armazém e Ateliê Maria Arteira disse...

Lindo, Ana!!!
Adorei começar o dia lendo a sua postagem, tão sensível...

Amei suas relíquias!!!
:)

Ótimo final de semana!
Beijo!

MoNi LuNa disse...

Muito legal ler suas memórias! Eu tb tive uma dessas maquininhas... e foi tão bommm revê-las!
É uma pena que não se ache mais brinquedos assim...

Lumali Atelier disse...

Que legal!!

Tenho mais ou menos a mesma idade que você e me lembro destes brinquedos! Eram demais!!
Com certeza deram um empurrãozinho em seu gosto pelas artes!

Adorei seu blog e vou voltar sempre aqui!!
Beijos
Aline
Lumali Atelier
www.lumaliatelier.blogspot.com

Ateliê Ana Bananna disse...

Adorei seu post e se fosse você, usava essas gracinhas para decorar seu espaço.

Seus filhos com certeza vão amar.

Beijos.

Beth Salvia disse...

Que história liiiinda, acho que nascemos com vocação para certas coisas, e a arte da costura é formdável, parabéns!

Ana Maria Nunes disse...

Que lindo! Uma criança bem cuidada e educada com exemplos bons. Fiquei emocionada!!!

Boop!s disse...

eu tbm tinha uma dessa maquina de costura. meus pais são os culpados por essa minha vida de costureira, ahuhauahua

Dágela disse...

Oi Ana!!!
Quando vi seu post, não pude deixar de te dizer... Eu tenho uma máquina igual a sua, mas me casei e trouxe para casa comigo. É muito bom lembrar do quanto tivemos infâncias felizes, onde a nossa criatividade era desenvolvida!
Bjoks

Bernadete disse...

Conheço seu blog há um tempo e agora que fiz o meu estou te seguindo.

Gosto muito dos seus trabalhos, parabéns!!

Aguardo você para seguir o meu também.

Beijos

Bernadete
http://www.detemiranda.blogspot.com/

Anônimo disse...

Oi Ana Júlia
Vim visitar teu blog e amei ... uma menina da tua idade que curti o mundo encantado das linhas, agulhas e tecidos tem sensibilidade e deves manter tudo isso que só faz bem pra gente arteira como nós ...Parabéns !
Visita meu blog também e espero que gostes ... Beatriz
ah! tb sou daqui de Florianópolis
Estação de Artes by bia

Marcia Dias disse...

Ana, minha filha teve essa maquininha de tricô... igualzinha!!! Infelizmente, não guardamos...mas, ainda tenho na lembrança, como ela gostava e se enrolava toda com as lãs, hahaha Aliás, ela tem a sua idade e se chama Anna também... viu como temos algo em comum? rsrsrs Umbj, tenha um ótimo domingo!

casa de fifia disse...

oi Ana
lendo o seu texto parecia que tinha sido escrito por mim. me identifiquei com sua palavras. eu também sou assim. não consigo jogar fora nada. eu sou casada com um italiano, e vivo na Itália ha dez anos,mas ainda tenho todos os vestidos e outras coisas que eu trouxe quando vim viver aqui, roupas que não me entram mais, mas eu não consigo botar no lixo porque me trazem boas lembranças,e me recordam momentos felizes,
bom inicio de semana.

baci

Gabbix disse...

Ai bateu saudade desses e outros brinquedos maneiros da nossa época! Muito fofo! amei

Helana O'hara disse...

J-E-S-U-S eu também tinha todas as máquinhas. Amava a minha de tricot. ♥

Thalissa disse...

tive a maquininha de trico, umas 2 maquininhas de costura,hj em dia eu adoro tudo isso... acho q foi uma influência muito boa, e tenho mta pena qdo uma amiga diz q não sabe nem passar uma linha na agulha... não sabe o quanto é bom! rsrs
amei o blog, to visitando agora só, mas adorei!

Joyce Gouveia disse...

Meninaaaa, lendo seu post revivi minha infância, que gostoso! Eu tive os 3 brinquedos rs adorava... nossa agora deu até saudade.

Estou seguindo seu blog! Bjinhos

http://batombamor.blogspot.com

Postar um comentário

Olá! Ficarei muito contente com comentários, dúvidas e sugestões! Obrigada pela visita e volte sempre! ;)